Terminais do interior de SP registram aumento de passageiros

rodoviária de VotuporangaNesta época do ano a procura pelas passagens rodoviárias aumenta em pelo menos 20% no terminal rodoviário de Votuporanga. Este é um dos exemplos que acontece com a maioria das rodoviárias do interior de São Paulo, entre os meses de dezembro e janeiro. De acordo com o Quero Passagem, site especializado na venda de passagens de ônibus para todos os estados do Brasil, o volume de reservas envolvendo trechos para cidades do interior paulistas, como: São José do Rio Preto, Bauru, Ribeirão Preto, São Carlos e Presidente Prudente, chega a dobrar durante o final de ano.

Em Votuporanga, cidade com pouco menos de 100 mil habitantes, o terminal rodoviário Leônidas Pereira de Almeida já se prepara para receber o movimento intenso entre os últimos dias do mês. Em dias normais, o local chega a atender 1 mil passageiros, que utilizam o serviço local e também partem para outros localidades, com ônibus de longa distância. No Natal, a administração do prédio chega a registrar mais de 1200 pessoas. Apesar de ser bom para as vendas, o aumento no fluxo de passageiros requer mais atenção e investimento por porta do terminal. É por isso que a rodoviária já se prepara para reforçar a segurança e melhorar o atendimento, principalmente para quem desembarca na cidade.

A Polícia Militar e os agentes de trânsito atuam constantemente no local – reforço para ajudar no combate ao transporte clandestino de taxistas e mototaxistas que rondam pelo local, além de dar mais segurança para os passageiros que aguardam seu embarque nas plataformas. Desde o ano passado, foram instaladas oito câmeras de segurança na rodoviária de Votuporanga, elas são monitoradas 24 horas. Segundo administração do local, elas ajudam a desvendar ocorrências e inibir ações criminosas dentro do terminal.  Na parte da limpeza e organização do terminal, 12 funcionários trabalham em período integral. As companhias de ônibus responsáveis pelo transporte de longa distancia são: Itamarati, São Luiz e São Francisco.

Novo terminal de BH atenderá 80 mil passageiros diariamente

Rodoviária de BHA partir do segundo semestre de 2017, mais de 80 mil passageiros poderão se acomodar confortavelmente nas dependências do novo terminal rodoviário da capital mineira. Localizado no bairro São Gabriel, região norte da cidade, o terminal de 27,9 mil metros quadrados de construção com distribuição em dois pavimentos deve ser o maior do Estado. No total a obra contempla 70 mil metros quadrados de estrutura, incluindo o sistema viário a ser implantado para a nova realidade da região. O complexo abrigará 41 plataformas para embarque e desembarque, com possibilidade de expansão para 56 em feriados prolongados e finais de semana de maior movimento – coisa que não era possível na atual rodoviária de Belo Horizonte, localizada no centro da capital.

Para a BHTrans essa é uma das principais vantagens desse novo terminal rodoviário. A inauguração do novo complexo rodoviário depende do Anel Rodoviário, que ainda não foi revitalizado, conforme necessidade debatida pelas autoridades. Por enquanto, os usuários que viajam de ônibus na capital devem embarcar e desembarcar no centro da cidade. Para ter espaço suficiente de instalação da nova rodoviária, foi preciso utilizar uma área de três lotes e desapropriar 287 construções – medida que trouxe grandes dificuldades para a prefeitura de BH.

Segundo o prefeito, a prefeitura enfrentou muitas dificuldades com os processos movidos pelos donos dos imóveis na Justiça, mas destacou que está confiante na conclusão da obra no segundo semestre de 2017, conforme prevê o documento assinado com o consórcio responsável.  “O contrato prevê um prazo de 18 meses depois da entrega do terreno. A prefeitura investiu mais de R$ 40 milhões em desapropriações e remoções, com 287 construções, e isso levou muito mais tempo do que nós esperávamos. Inclusive, nós temos três ainda na Justiça após a liberação do terreno”, disse Lacerda, ressaltando que as pendências judiciais não representam obstáculos físicos no caminho da obra, mas sim questionamentos de moradores que já tiveram seus imóveis demolidos.

Governo constrói terminais em Brasília para incentivar viagens

rodoviária de BrasíliaO número de interessados nas viagens de ônibus realizadas em Brasília deve triplicar a partir do ano que vem. Essa é a expectativa do Governo Federal ao construir oito terminais rodoviários e reformar nove unidades de atendimento a passageiros de ônibus, instalados nas ruas do distrito. Com previsão para ser entregue até o final deste ano, a obra está orçada pelo banco no valor total de R$ 33 milhões – montante que tem prazo de utilização até o final deste ano, para subsidiar obras de mobilidade urbana na localidade, com participação do Programa de Transporte Urbano (PTU). Até o ano terminar, oito novos terminais rodoviários de Brasília deverão entrar em funcionamento. Já em fase de construção, os prédios substituíram estações provisórias instaladas pela prefeitura nos últimos 12 meses. Além dos novos projetos, a administração pública pretende reformar mais nove terminais de passageiros, até o final do ano.

Três unidades destinadas ao transporte rodoviário da capital estão sendo restruturadas, enquanto outros quatro terminais já foram reformados recentemente. No total, o Distrito Federal atende a demanda de viagens rodoviárias com ajuda de 32 pontos de apoio em atividade, somando os que estão sendo utilizados de forma provisória. O investimento deve melhorar a qualidade no tempo de espera entre os embarques, além de oferecer mais segurança e comodidade para quem optar pelos coletivos. Em fase final, os terminais do Riacho Fundo II, de Sobradinho II, do Gama Leste e da QNR de Ceilândia estão quase prontos. Outras unidades em Recanto das Emas I e II estão previstas para agosto.

Já em setembro, as de Samambaia Norte e Sul poderão ser utilizadas pela população. As obras de reformulação do Guará I e II, Núcleo Bandeirante, Ceilândia (P Sul), Paranoá, Taguatinga (M Norte), Taguatinga Sul, Planaltina e Cruzeiro Novo também serão entregues este ano. O Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) e o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) são os órgãos responsáveis pela execução das obras. Segundo dados oficiais do Programa de Transporte Urbano (PTU) da Secretaria de Mobilidade, os terminais de Brazlândia Centro, Gama Centro e Sobradinho (Setor Tradicional) – com maior fluxo de interessados no serviço rodoviário, devem ser entregues a população em prazo máximo de 10 meses a contar a data de licitação do projeto, aprovado há dois meses. A maior parte do recurso financeiro para praticar o projeto foi originada de um contrato assinado em 2008, com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).