Justiça quer adequações na Rodoviária de Aracaju

O Governo do Estado de Sergipe terá até 90 dias para por em prática as adequações solicitadas pela Justiça, que preveem melhorias nos serviços prestados pela rodoviária de Aracaju. A ação civil pública acatada pelo juiz Marcos de Oliveira Pinto, da 12º Vara Cível de Aracaju, em caráter de urgência determina uma séria de ações que visa garantir mais segurança, higiene, conforto e mobilidade dos passageiros e comerciantes que ocupam o famoso Terminal Rodoviário Luiz Garcia, conhecido como ‘Rodoviária Velha’, na capital de Sergipe.30

Já faz sete anos que as inspeções do terminal vêm apontando irregularidades, envolvendo falta de sinalização e placas de orientação no setor de embarque, organização nas filas de espera, número de acessos no interior da rodoviária, fluxo rodoviário de veículos e pessoas no mesmo perímetro e grande circulação de ambulantes, barracas e carroças nas vias que deveriam ser desocupadas. Daqui os próximos três meses, o terminal rodoviário de Aracaju deverá ter um projeto aplicável para combate a incêndio e pânico aprovado pelo Corpo de Bombeiros; instalação de luminárias de emergência e sinalização de extintores; manutenção de obras emergenciais no prédio, corrigindo pontos de corrosão, fissuras, ferragens expostas, desplacamento de revestimento cerâmico; delimitação da área do terminal, identificação em acessos e melhoria no controle de circulação de usuários e veículos; ordenamento do comércio, organização de vendedores por meio de cadastro e em quantidade compatível com o espaço existente; fiscalização dos estabelecimentos do local; e reformas nos sanitários.

Se o Governo Estadual não cumprir o prazo previsto, poderá pagar multa diária de R$ 5 mil. A Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra) que será responsável por encabeçar as mudanças do terminal rodoviário, disse que ainda não foi notificada da decisão. No começo deste mês, o teto de concreto da marquise da rodoviária teve parte cedida, quase provocando um acidente grave.

Férias escolares aumenta fluxo na rodoviária de Campo Grande

As férias escolares do mês de julho foram responsáveis pelo aumento no número de passageiros regulares que embarcaram e desembarcaram na rodoviária de Campo Grande, o principal terminal rodoviário da região metropolitana do Mato Grosso do Sul. Segundo informações da Concessionária do Terminal Rodoviário de Campo Grande, até o mês terminar, é provável que mais de 150 mil passageiros utilizem os serviços oferecidos pela rodoviária interestadual de Campo Grande.

Além das linhas interestaduais e intermunicipais, o Terminal Rodoviário Antonio Mendes Canale, oferece regularmente informações no balcão que fica no centro do prédio, setor de achados e perdidos durante o horário comercial, segurança interna com monitoramento de câmeras, serviço de limpeza, lojas de conveniência e do ramo do vestuário, guichês das operadoras com atendimento estendido, e um pequeno aglomerado de lanchonetes e restaurantes que compõem a praça de alimentação. Com o clima mais frio e dias curtos para promover longas viagens, os destinos mais procurados por quem embarca das plataformas da rodoviária de Campo Grande estão entre cidades do interior do Pantanal, com exceção da grande procura por passagens de ônibus para São Paulo, Porto Alegre e até Cuiabá. As cidades de Ponta Porã e Corumbá também fazem parte da lista dos trajetos mais concorridos nesta época do ano.

Férias para os grandes terminais rodoviários

Segundo levantamento do site Quero Passagem, especializado na comercialização de passagens de ônibus pela internet, este período de recessão escolar tem favorecido o aumento de viagens rodoviárias saindo de terminais do interior dos Estados, como em São Paulo, Santa Catarina e Rio de Janeiro. É uma realidade diferente do que acontece em altas temporadas, quando os grandes terminais rodoviários do Brasil dobram o número de embarques diários e intensificam os horários extras para atender a grande demanda nos feriados prolongados e as pequenas rodoviárias registram pouca elevação nas plataformas.

Rodoviária de Campinas é a 4ª maior rede rodoviária do Brasil

A rodoviária de Campinas tem a quarta maior conexão rodoviária do Brasil, reunindo no total, 596 possibilidades de destinos entre São Paulo e outros estados do país. Os números apurados pela pesquisa inédita do IBGE “Ligações Rodoviárias e Hidroviárias 2016, é referente a performance dos terminais rodoviários, do ano passado. A cidade ao lado da capital de São Paulo são as duas mais influentes do estado paulista, em relação ao número de linhas de ônibus intermunicipais, já que só a cidade de São Paulo é capaz de oferecer regularmente 1.477 destinos, acessados através dos terminais rodoviários da Barra Funda, Tietê e também Jabaquara.

O terminal rodoviário de Belo Horizonte ocupa a segunda posição do ranking rodoviário, com 643 ligações feitas de ônibus, uma diferença de pouco menos de 40 possibilidades da terceira colocada, em Goiânia, com capacidade para integrar 606 destinos de ônibus.

A pesquisa também revelou que o poder econômico da capital e sua capacidade populacional são os fatores determinantes para a liderança absoluta desta lista. Ao contrário do que acontece com as cidades de Campinas, Goiânia e Belo Horizonte que ganham destaque na rede de conexões rodoviárias, juntamente porque se encontram em posições geograficamente privilegiadas, permitindo maior integração entre as cidades. O número de habitantes entre as três cidades também é um fator relevante, já que juntas contabilizam 5 milhões de habitantes.

Números da rodoviária de Campinas

Quem acha que o terminal rodoviário de Campinas apenas oferece trechos para cidades de São Paulo ou regiões mais próximas, está enganado. A viagem mais longa disponibilizada por lá tem desembarque em Natal, no Rio Grande do Norte. São mais de 3,5 mil quilômetros de distância, em uma cansativa viagem de dois dias e meio. Já o trajeto mais curto é feito em 11 quilômetros, até a cidade vizinha de Valinhos.