Nova rodoviária de Cuiabá trará inovação comercial

A Secretaria do Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) do Mato Grosso assinou contrato com a Sinart – empresa responsável pela administração da rodoviária de Cuiabá e de outras 35 rodoviárias, para realizar melhorias na infraestrutura do prédio, na acessibilidade, na segurança e limpeza de onde os passageiros transitam diariamente. Desde o dia 16 de novembro, a Rodoviária Engenheiro Cássio Veiga de Sá, em Cuiabá vem sendo administrada por uma nova empresa, em caráter emergencial, para que os serviços oferecidos a unidade não sofram paralizações. O objetivo da reformulação é transformar o local em um centro comercial, integrando vários serviços aos usuários, para facilitar a vida de quem precisa acessar outros serviços e utiliza o terminal para se deslocar durante o período comercial ou em feriados. De acordo com planejamento do projeto com o nome de Rodoviária Shopping, serão instalados caixas eletrônicos de várias operadoras bancárias, novos restaurantes, lojas e até a instalação de uma unidade de Ganha Tempo. Outra melhoria prometida em papel é sobre a climatização da unidade e a disponibilidade de internet gratuita aos passageiros. O modelo deve ser parecido com o que já foi implantado na capital de Goiás, reunindo um verdadeiro centro de serviços, no local.

Rodoviária Shopping

Quem vencer a licitação para administrar a Rodoviária Shopping de Cuiabá terá autonomia pelos próximos 30 anos. No total, serão contratados oito seguranças privados, nos banheiros, a instalação de bebedouros, guichês com informações aos turistas, acessibilidade para pessoas com deficiências, obras de melhorias na infraestrutura da unidade e instalação do wi-fi. A Sinfra quer finalizar no primeiro semestre de 2018 a modelagem definitiva da concessão da rodoviária.

Antiga realidade

A antiga empresa Servert operava a rodoviária nos últimos 23 anos, sendo que há uma década estava sem contrato. Ou seja, dessa forma não vinha fazendo os investimentos necessários e previstos em contrato.

Rodoviária de Foz do Iguaçu instala climatizador sustentável

Agora não é mais uma peculiaridade dos coletivos, oferecer um clima mais ameno e agradável para quem vai viajar, principalmente em épocas do ano em que os termômetros registram mais de 35 graus. É assim que a rodoviária de Foz do Iguaçu tenta reunir o maior fluxo de passageiros, mesmo no verão do Paraná. A Tarobá Construções, empresa concessionária do terminal rodoviário, está implantando um sistema ecológico de redução de temperatura que promete não agredir o meio ambiente. Para deixar o clima do local mais agradável, foram instalados dois aparelhos de climatização, com vazão de insuflamento de 73 mil m³ por hora, cada.

Eles são sustentáveis porque não utilizam qualquer tipo de gás para funcionar. O resfriamento se baseia na renovação e na mudança de pressão do ar e é conhecido como resfriamento adiabático. A função do equipamento é trocar o ar até 40 vezes por hora, reduzindo a sensação térmica através de um processo endotérmico. O ar também vai renovar o ambiente na área de embarque e também será percebido pelos passageiros que estiverem se alimentando na praça de alimentação do prédio.

Os aparelhos, além de resfriar e renovar o ar ambiente, eliminam poluentes, odores e sujeiras, melhorando a qualidade do ar no local. Para prevenir e suavizar os efeitos das altas temperaturas, os climatizadores não deixam o ar seco, pelo contrário, devolvem a umidade. Nesse sistema é umidade é controlada e mantida em 65%. Além disso, o representante da marca do climatizador garante que o aparelho não ressaca ao ar, já que o resfriamento se utiliza da água para baixar a temperatura do local. A umidade se dissipa por todo o ambiente sem molhá-lo. Isso é muito importante, porque além de não poluir o ambiente, a rodoviária permanece aberta o tempo todo, e mesmo assim o ar é renovado frequentemente.

 

Cai número de passageiros na rodoviária de Picos

A rodoviária de Picos e outros terminais rodoviários que atuam na operação de linhas de longa distância, pelo interior do Piauí, registram desde o início do mês queda no número de embarques durante o mesmo período do ano passado. A expectativa para o último mês do ano também não é das melhores, já que a crise econômica enfrentada pelos brasileiros está afastando muita gente das viagens de lazer no período de festas e no próprio final de ano. Este vai ser a primeira “alta temporada” dos últimos quatro anos que empresas rodoviárias especializadas no transporte de passageiros da região podem ficar sem registrar aumento nas vendas de suas passagens de ônibus.

Segundo informações da administração do Terminal Rodoviário Zuza Baldoíno, em Picos, a baixa na circulação de pessoas durante esta época do ano não só preocupa as operações do terminal rodoviário e as próprias auto viações, que também sofrem sistematicamente com esta redução – também influenciando diretamente nas vendas dos lojistas e comerciantes que possuem pontos comerciais instalados no local. É por este motivo que na visão do empresário e coordenador da rodoviária, Francisco de Assis Portela, o terminal é o empreendimento mais ameaçado e prejudicado com este declínio, já que corre o risco de perder parcerias comerciais e sobrecarregar os recursos para subsídios das despesas de operação do prédio.

Fluxo Rodoviário

Desde o ano passado, mais de 600 pessoas utilizam o serviço rodoviário da cidade (Picos) diariamente para se deslocar. Só nos últimos meses deste ano, o número caiu pela metade, em comparação com o ano passado, mas deve subir, com a proximidade do Natal e do Réveillon. A expectativa mais otimista da administração da rodoviária de Picos espera receber cerca de 700 pessoas durante os últimos dias de 2017.