Monitoramento do ar está parado na rodoviária Caxias do Sul

Obras no terminal barra funda ventilação

Aparelho detecta o nível de poluição do ar.

O equipamento que monitora a qualidade do ar de todo estado gaúcho, não está funcionando na rodoviária Caxias do Sul. Segundo a Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luís Roessler (Fepam) que instala os aparelhos, apenas oito das 13 estações que já receberam o serviço estão com o sistema operante. Só em Porto Alegre, três equipamentos de monitoramento foram instalados em locais de grande fluxo de pessoas e veículos rodoviários, porém apenas um deles consegue registrar as partículas prejudiciais à saúde. Os dados vêm das avenidas Borges de Medeiros e Salgado Filho, da Capital, de onde a concentração de monóxido de carbono (CO) emitido pelos motores dos carros é avaliada. Ao contrário do que acontece com a Estação Azenha, na praça Princesa Isabel, com o aparelho desligado.

A intenção do projeto é prevenir doenças e complicações respiratórias, melhorando a qualidade do ar em pontos de risco das capitais brasileiras. De acordo com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Porto Alegre, é preciso calibrar a máquina para que os dados tenham confiabilidade. Desde julho desde ano, um dos aparelhos instalados na Estação Humaitá consegue detectar a quantidade de monóxido de carbono, dióxido de enxofre e de nitrogênio, ozônio e material particulado presentes no ar. Como as outras, a máquina é fabricada na Alemanha e a empresa que faz manutenção é paulista. As estações de monitoramento são instaladas em avenidas de grande movimentação, terminais rodoviários, ruas próximas e dentro das escolas e praças bem visitadas.

A máquina que deve apontar se a emissões de gases dos ônibus rodoviários da capital estão dentro das normas estabelecidas fica no Largo Edgar Koëtz, mas até agora está parada por conta das obras do viaduto Júlio de Castilhos e da construção da nova rodoviária de Porto Alegre. Os municípios de Triunfo e Caxias do Sul também foram escolhidos para terem o ar testado. Em de Guaíba, Canoas, Sapucaia do Sul, Triunfo, Esteio, Gravataí e Charqueadas o sistema de monitoramento do ar está funcionando corretamente. A comprovação de altos índices de partículas inaláveis em terminais do Estado pode ajudar na renovação da frota de companhias de ônibus que viajam em linhas interestaduais e intermunicipais.