Rodoviária Porto Alegre prevê obra de ampliação daqui 5 anos

Rodoviária POA deve ser totalmente reformada.

Rodoviária POA deve ser totalmente reformada.

A rodoviária Porto Alegre, a maior do Estado do Rio Grande do Sul deve ter um novo edital aberto para poder ser reformada totalmente. O concurso realizado pelo Daer RS – Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem irá nomear uma construtora para reformular o terminal rodoviário. A previsão da obra que também deve deixar o espaço mais amplo é de cinco anos, após a licitação terminar. Para saber mais a respeito da rodoviária basta acessar o site http://queropassagem.com.br/rodoviaria-de-porto-alegre. Até o projeto não sair do papel, outra licitação provisória deve ser lançada em breve para que outros serviços de construção, incluindo reformas e manutenções físicas sejam exploradas. No espaço deve ser construído um edifício-garagem e outras obras complementares.

Mais de 60 concessões para exploração dos serviços de estações rodoviárias no interior do Rio Grande do Sul foram homologadas pela Subsecretaria da Administração Central de Licitações (Celic), vinculada à Secretaria da Administração e dos Recursos Humanos. Com todas as obras somadas, mais de R$ 5 milhões deverão ser investidos no setor rodoviário. O prazo das concessões é de 20 anos. Apesar do tempo, o Daer apenas conseguiu agilizar a aprovação de 40 licitações, neste ano. No ano passado, 11 haviam sido aprovadas. As rodoviárias em cidades pequenas, com pouca rentabilidade são as menos exploradas. Segundo o departamento de rodagem, dos 274 processos licitatórios, 129 não tiveram empresas interessadas até a metade do ano, justamente por não apresentarem potencial financeiro para as licitadas.

De frente à realidade, o futuro de muitos desses terminais rodoviários é se transformarem em pontos de ônibus.  “Atualmente a maioria das cidades pequenas só trabalha com ônibus comuns, que fazem a cobrança dentro do próprio veículo. Portanto, eliminam a necessidade de agências de viagens no local. A preocupação é com os horários direto e semidireto”, afirmou o diretor de Transportes Rodoviários do Daer, engenheiro Paulo Ricardo Campos Velho. Quando o ponto de parada de ônibus passa a trabalhar com os horários direto e semidireto, há a necessidade de um posto de venda de bilhetes rodoviários. Neste caso, o Daer utiliza estabelecimentos comerciais já existentes, como lotéricas, para comercializar as passagens de ônibus.